sexta-feira, 18 de novembro de 2016

novembro quase indo



Continuamos escrevendo
arduamente
reservados
esperando
a vida sinaliza
o momento oportuno
ou nós o escolhemos
e então vamos
talvez hoje a noite
se possa zarpar
outra vez

as palavras brotam
florinhas amarelas
cercado grande
que contorna a mansarda
é verão
a terra recende a limão
e sentimos
tanta saudade
que qualquer brisa
vira canção



Nenhum comentário:

Postar um comentário

novembro musical

Sem alarde O memorial dos olhos quentes da mãe Nenhuma culpa História Os encontros soprosos. Dava gosto! Como tecer um p...