Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

A cidade e o fenômeno

Hoje, os pensamentos são frutos de olhar a cidade:
Vamos, observar o mundo pela manhã! Com os olhos cheios de esperança, enquanto o amor não se transfigura, para enfim abarcar a todos os seres. Vamos! Observar o voo dos pássaros. Lembrar que eles são incansáveis trabalhadores. 
Vamos! Aceitar o trabalho de perceber quantos desesperados se acostam pelas ruas. São adversários, emissários. Eles se acomodam em postes, falando sozinhos, sob toldos de ônibus, tão bêbados, drogados, em estado lamentável, optando pelo não a regras, criando seus próprios engôdos, fantasmas, destinos, dívidas, quitações, desafios.Todas, palavras para atirar ao mar. A cidade lembra a todos: somos seus irmãos, seus filhos, seus pais! Estamos perdidos em ignorância, em apatia, em preguiça, rebeldia e o que mais nessa saga riquíssima de ser humano. Somos - esses que vão pelas ruas, donos de bons envoltórios, donos do próprio nariz. Temos pernas, braços, olhos, ouvidos, cheiro; tudo aparentemente presente e operante. …

Últimas postagens

Eu peço perdão se não sorrir

Mais setembros

Esperamos você com abraços

Vento, vento

eu te dou a voz

Café A Brasileira

quadras a maneira de prece

abril das virtudes

outono 18

Alegria