terça-feira, 18 de outubro de 2016

depois da super lua de outubro



A palavra tem um gesto acalorado
Quando fala do encontro
Entre o neno e sua mãe

A palavra nos remete a outro senso
Quando junta neno e neno
No brinquedo com seu pai

A palavra nos acolhe em novo gesto
Quando o dia vai a meio
E junta o coro pra cantar

A palavra nos convida ao comprisso
Quando a voz da assembleia
Reza prece de louvor

A palavra nos envolve em diadema
Em ciranda medicina
Quando o mundo quer quebrar

A palavra toma rumo deletério
Quando a dor de egoísmo
Nos impele a naufragar

Um dia, quando os horizontes claros
E o fundo do mar emitir o som
A palavra fará sentido para todos nós

Nenhum comentário:

Postar um comentário

novembro musical

Sem alarde O memorial dos olhos quentes da mãe Nenhuma culpa História Os encontros soprosos. Dava gosto! Como tecer um p...