quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Vôo TAP, Iberia, Combo, Air France


*Igreja de Santo Antonio e Sé de Lisboa - In descobrir Portugal

Olhei esta estampa.
Olhei minha devoção por Ti, Santinho de Lisboa.
Olhei pela primeira vez os preços de passagens.

Para mim,
tal movimento viajor
é um ir por dentro,
um escarafunchar as prateleiras
os arquivos dormidos
e emaranhados
durante toda estadia no orbe.

Estou tratando de atacar um dos armários
de guardados
partituras, xerox de livros, textos, de outros tempos
mas correlatos com meus assuntos atuais.
Só que não adianta armazenar essas coisas,
todos sabem.
Lixo que não é lixo, sem olhar
primeira opção.

Pegar carona na bicicleta de Beleville do Prefeito,
outra!
Prefeito poeta? Ou falastrão?
Isso é outra história,
que a História vai contar,
não fala política numa hora dessas.

A quarta-feira veranica
está bem para outonica,
chuvinha miúda, vento quase frio.

Saudade muita, Santo Antonio
e então serei portadora de uma expectativa
que não é facilmente controlável.

A palavra obsessão me dá calafrios.
 
Pena, porque esta palavra
é represamento energético
que arremete,
feito vulcão.

Sou Dédalo ou o assassinado?
Que história é essa?
Explico:

Difícil contemplar a busca por equilíbrio
no segundo dia do ano
cuja somatória é seis.
Por equívoco ou sopro
lembrei-me não do seis,
mas da circunstância
que configura o cinco de ouros
no baralho grego.


Cinco de Ouros












** O naipe de Ouros conta a história de Dédalo, escultor e artesão que construiu o labirinto do Minotauro. É uma lenda sutil e seu herói tem muitas nuances, pois é, na realidade, um misto de vilão e de homem bom. Esse mito retrata os problemas e as vitórias que o homem consquista ao lidar com fracassos e recompensas.


Dédalo cometeu assassinato
no quinto estágio
e está fugindo.
O assassinato foi covarde e vil.
Um aprendiz de grande talento
lhe fazia sombra.
E Dédalo lhe roubou
o dom da vida.
E mesmo assim
assassino,
o arquétipo vai seguindo viagem.
E chega lá no dez de ouros
com família.
O morto é que já não é.

Fiz a somatória para 2013.
Se juntar ao seis o dois (deste dia)
temos Dédalo reconquistando seu passo:







Oito de Ouros
 de Paus no Tarô Mitológico
**** aqui é Jasão e os Argonautas,
seis de paus
após a luta com o dragão, conquistando o Velocino.
O arquétipo do imaginário.

Que associações são essas?
As mesmas que estão me proporcionando
compor canções
e assuntar sobre emoções, afetos e sentimentos...

Sou viajor, é fato.
Tenho quefazeres nos lugares por onde passo.
De passagem, cortejo.
Cortejo com brandura e vou passando.

Só não posso deixar pedaços do coração pelo caminho...

Interessante: preciso tirar terceira via
da certidão de nascimento.
Isso me faz repassar o conceito de estar morta
e não terem ainda me avisado...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

novembro musical

Sem alarde O memorial dos olhos quentes da mãe Nenhuma culpa História Os encontros soprosos. Dava gosto! Como tecer um p...