pelos sonhos presentes





E o gato dorme
enroladinho no cobertor
açucena dentro d'água
dura vinte e quatro horas
grudado em minha coxa
o gato
qual filho de Zeus
evola
E o sonho da manhã
esvanece
feito dente de leite
que cai
de criança assombrada
o seio seco
descansa quieto
sob a veste simples
o menino rodamoinho
que pus a dormir
sob o peito
vira questão das horas
as núpcias
o velório
as flores humanas
estamos todos bem

Comentários

Postagens mais visitadas