quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

december, return to paradise


Faz tempo que não publico textos assim. É um tempo tenso, vale chamar:

                                          * foto de Ari Almeida



Boa noite.

Coisas importantes que apareceram hoje no "return to paradise":
1 - País repressor, que censura, coage, coíbe a arte a qualquer vacilo; Moramos aqui, temos que aprender a nos colocar.
2 - Tem gente muito competitiva na cidade, no campo da arte, e isso não representa mérito, ao contrário, chama fofoca, dissimulação, calúnia, depreciação, faz os tímidos se encolherem mais e os raivosos quebrarem o pau - para nada. No fim, a produção é fraca, perecível e meio vazia . Temos que estudar história e geografia do Paraná, já lhes falei isso.
3 - Energia termoeletromagnética regula o modo de cantar. Podemos controlar isso - mais calor, menos calor; mais ‘siricutico, menos siricutico’; mais atração, neutralidade;
4 - O perfil geral da pessoa define seu repertório. Já contei que ando com 35 "amigos imaginários" que cantam comigo. Eles me ajudam a criar 35 ambiências diferentes de interpretação. Se estou protegida, nem sempre.Proteger-se de que? De corromper-se, quebrar, de beber muito, cair na droga, no sexo sem nexo, na ansiedade, na depressão, na insatisfação, na tristeza, no suicídio!!!
5 - Ah, podemos escolher: vibrar a favor do caos ou vibrar de outro jeito...
6 - Eu (tenho que saber quem sou EU) canto o que quero expressar, embora nem tudo seja conveniente. Aí entra o bom senso que os que saíram da adolescência adquirem, (batendo cabeça ou não).
7 - Usar a imaginação foi a tônica da aula de hoje.
8 - Fizemos umas pontes meio desesperadas: Elis, Sandy, Tim Maia e Roberto...
9 - Ficou de falar mais sobre 'machismo'; sobre arte na rua ou de rua; arte para ganhar a vida, sobre a polícia e o medo de levar porrada.
10 - Sobre estudantes da licenciatura terem que cantar, não dá pra escapar disso.

O que propus para vocês entre 15 e 16 de dezembro deveria dar algum broto na semana seguinte. Tem recesso decretado, só nos vemos ano que vem. Muitos devem estar achando absurdo voltar agora. Falamos sobre palhaços e clowns. Fiquei triste porque alguns estudantes ainda resistem e resistir é um bom caminho quando se decide pela greve... falo outra vez o que disse para o pessoal que fechou 2015 em março de 16: precisa achar um mecanismo diferente pra resistir... então vieram as OCUPAS...

Ah caramba, um enxame de abelhas, das bundudinhas, listradas, que gostam de Coca Cola, OCUPAM a sala onde costumamos fazer aula. O quadro é tocante. Muitas muitas morreram. Não é possível dizer por que entraram lá... Muitas voam ao redor dos lustres, resistindo... quase todas morrerão no final. Os bombeiros não socorrem situações assim, não quando os bichinhos não estão atacando. Algumas auxiliares da limpeza são alérgicas. Achei o quadro tão tocante que ri, os nervos à flor da pele. Eu escolheria para cantar hoje Á flor da pele...
Abraços.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

verso bordado

Lá fora a luz do dia, baça. Tu me disseste qualquer desafeto, verso E foste embora sem adjetivo que se interpusesse. Eu, às...