quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Prece por novembro





Querida Mãe de todos nos.
Obrigada pela brisa fria,
pelo cinza das dezenove horas
flanando no céu.
Pelo silencio dos vizinhos.
Pelas luzes difusas do abajur.
Pelo gato quente enroladinho ao meu lado.
Pelo amortecimento da medicação.
Pela possibilidade da espera.
Pelo fim de outubro.
Pelo desmaio dos versos.
Por ser inútil fazer qualquer coisa.
Pela literatura. Pelos novos escritores. Novos estilos de escrita.
Pela chance de abrir as portas
e fazer a brisa desfilar na casa magra e empoeirada.
Pelo sino de vento que canta solitário.
Pelo meu irmão, que me comprou cama e colchão novos,
quem sabe eu possa retomar o carinho de dormir na penumbra...
Obrigada, querida Mãe de todos nos.
Bons dias de Todos os Santos.
Boas entradas para novembro.
De um beijo em Santo Antonio, por mim.
Que assim seja.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

novembro musical

Sem alarde O memorial dos olhos quentes da mãe Nenhuma culpa História Os encontros soprosos. Dava gosto! Como tecer um p...