quarta-feira, 8 de maio de 2013

Retificacoes salutares, obrigada ao Sr. Affonso Romano de Santana


* www.supernosso.com.br

Resolvi, nesta data, retificar um termo que venho empregando desde que esse blog comecou a funcionar, em 2009. Ate hoje eu encarava a maioria dos textos como "cronicas cotidianas". A analise do trabalho como um todo revela, contudo, que estou longe de estabelecer-me nesta forma literaria. O sonho de embrenhar-me no universo literario, como alguem que produz literatura, sempre rondou minhas gavetas. Lembro-me de uma limpeza, em que enchi um desses sacos de 100 litros de lixo com cadernos antigos, cartas antigas. Naquele dia pus fora muita coisa que hoje eu guardaria nos arquivos. Eram momentos de moca, momentos de confusao e crescer, momentos caros que resultariam hoje, certamente, em material para analise ao menos do carater. O que tenho experimentado, na producao atual, e o exercicio necessario de colocar-me ao largo das narracoes que faco, embora diga muito em primeira pessoa. Eu testo misturas, texturas, ranhuras, hachuras, pontilhismos, oleos sobre tela, guache, cinzel e goiva, pizzicatos, sustenutos, expressivos, ben marcatos, con dolore, apassionatos, cardamomo, alecrim, salvia, acafrao, leite de coco, oleo de abacate, cachaca e quem sabe, vez por outra, gasolina supra ou power da PETROBRAS... Ouvindo um cronista numa entrevista, achei por bem abdicar do termo, que mais se adequa ao belissimo trabalho de Rubem Braga, este sim cronista cotidiano afamado e afirmado.
E entao me ocorreu recuperar um projeto anterior ao Santo Antonio de Lisboa. Eu voltei do Chile em 2005, depois de 11 dias de sol, encantada com o Osorno e tudo por aquele sul espetaculo. E fui produzindo pequeninos comentarios-poemas, que eu sonhava, todos, virassem cancoes no futuro. E os temas foram mesmo se adequando a forma-cancao. Para que fossem cancoes curtas ficou sendo o nome do trabalho. Ja publiquei aqui no blog algumas paginas dele. Novas cancoes vem surgindo nos ultimos anos, talvez nao tao curtas como quereria, uma profusao ai com o advento do trabalho com o musico Fabio Laskavski. Tres versoes em ingles da Monica de Souza Lopes. Quando tudo estiver pronto, vem as gravacoes para que voce, depositario do acesso numero vinte mil, possa dar voz ao textos sem musica mais tarde.

Sururu na roda, bacalhau brasileiro, obesos do Brasil, cronistas, poetas, romancistas da geleia geral, Leda Nagle... minhas ferias, preciso delas, mas talvez so tenha direito a isso em outro carnaval galatico....
Finalmente clareia para mim o termo geleia geral: se adona o brasileiro de ser escritor, musico, estilista, antes de ter cumprido os ritos da arte... fim!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

verso bordado

Lá fora a luz do dia, baça. Tu me disseste qualquer desafeto, verso E foste embora sem adjetivo que se interpusesse. Eu, às...