segunda-feira, 27 de maio de 2013

Orientações vocais que podem atender a outros grupos




Foto 
*foto de Ari Almeida

Opções de estudo individual para atender ao coletivo:

Escolher um tema do repertório para estudo, em que cada um possa cantar separadamente um trecho. Ex: Fulano começa e vai ate o fim da primeira frase, Beltrano canta a segunda, Sicrano a terceira e assim durante todo o trecho. Seria interessante poder trocar também. Num segundo momento Beltrano começa o mesmo tema, Sicrano segue, Fulano, e assim por diante, ate o tema ser reiteradamente "dissecado". Aqui e possível levantar conflitos individuais, reconhecer a forma de escuta de cada um, o raciocínio utilizado, e encontrar estratégias para solidificar a memorização. Se houver um ou dois temas a mais, em que se possa agir da mesma forma, melhor ainda. Preferir temas em que o naipe tenha mais solos.Essa investigação leva de quarenta minutos a uma hora e desenvolve a percepção e afetividade.

Suponha que o grupo tenha aceitado o desafio de preparar a Bachianas n 5. Soprano precisa começar a estuda-la dois tons e meio abaixo do tom exigido e vir corrigindo as passagens, uma a uma, cromaticamente, ate passar pelo menos um semitom da nota mais aguda a ser alcançada. A obra precisa ser estudada por trechos, compasso a compasso e não na integra.  Um trecho isolado deve ser estudado cromaticamente, avançando ao agudo e retornando ao tom original.  O que seria melhor era haver, em cada naipe, alguém que soubesse tocar um instrumento harmônico, conduzindo o estudo... para isso seria preciso um encontro do naipe em local e data diferenciado do ensaio semanal.  Não e necessária a presença do regente ou preparador nesses encontros. Nos encontros se assinalam as urgências e ainda se tem um agradável convivio social, com um tempo para esse estudo musical vocal especifico.

E preciso cuidar também com as mudanças de técnica necessárias a cada obra, pratica comum nos grupos vocais leigos brasileiros. A Bachianas precisa de uma projeção focada no centro do palato e não tão à frente como e o caso de Meu Pais. Observar com critério a ordem do programa de concerto e memorizar os comportamentos da voz a seguir, para que ninguém se machuque ou confunda.  Cuidar com os ataques das primeiras notas de cada frase, as vezes ainda aparece aquela tendência a fazer o portamento (como se se procurasse onde esta o tom, sem ataca-lo direto, preciso). Ah, cuidado para que o escurecimento do timbre não torne a voz soturna, emburrada. Todos os naipes precisam ter bem claro onde começa e termina cada frase. Esta e a causa principal do texto ficar ininteligível para quem ouve. Tudo implica em ouvir a performance em tempo real, ou seja, ouço-me enquanto estou cantando. Como isso e difícil em conjunto (especialmente a quatro vozes), e preciso testar sozinho. 

Tomara eu tenha me feito compreender. Tomem cada item desta carta e considerem-no em separado. Estudar e isso, ir aos detalhes, não somente passar as obras na integra. Para isso o regente procede aos ensaios gerais. Ali se colam todos os esforços individuais a serviço do coletivo. 

Paz e bem.

Um forte abraço e ótima semana a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

novembro musical

Sem alarde O memorial dos olhos quentes da mãe Nenhuma culpa História Os encontros soprosos. Dava gosto! Como tecer um p...