quarta-feira, 24 de abril de 2013

Orientar e ser orientado


*descobrir Portugal

E disse meu professor, para finalizar uma aula leve, em que eu havia levado tristeza, porque a vida é dura:
Você tem dois caminhos - um é tratar a matéria com raiva, com o corpo tenso, o coração inflexível, em batalha com ela, resmungando entredentes eutenhoque eutenhoque, o som pegando fogo de tão feio. O outro é tratar a matéria com uma certa alegria, como uma criança, que encara o desafio com prazer (como uma terapia, o mestre ja havia dito) e então o som é água cristalina. Pelos dois caminhos voce chega ao mesmo lugar (seja ele qual for, estava nos olhos do mestre - ser bom no que está fazendo ou ser mediocre...). Só que com o primeiro voce fica chato (fica insulado, eu completei)...quem sabe se voce tratar o assunto de forma mais positiva - e nao tao cheia de cobrancas, preocupacoes e amarguras, eu completei...
Tudo é ilusão, impermanência. E há algo de lindo nisso. Nossa lógica existencial está tentando guarnecimento, discernimento. Temos o dever e o direito de tentar. Ser melhores. Que melhor é esse?
O fato é que minha sintonia com o mundo, com a vida, anda capenga. Estou esse "chato" ao qual meu professor se referiu. As vezes a certa alegria tambem me visita, em doses menos densas. É nessas horas em que exercito orientar. Nas outras, busco o farol.
Soube tambem por esse mesmo professor que tenho que vamos preparando a viagem, o bote Nazare ja esta no beiral da barra, pronto para zarpar. Fiquei surpresa, confesso, quase a certa alegria veio banhar-me o dia outonado de curitibices...
Mais uma moça veio, alertando para o fato de expor a vida na net... e ser alvo de fofocas e mal dizeres...
Ia gostar muito, muito mesmo de falar contigo Alberto, é o que posso escrever para o momento.
Se der, desenvolvo depois o racicinio...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

verso bordado

Lá fora a luz do dia, baça. Tu me disseste qualquer desafeto, verso E foste embora sem adjetivo que se interpusesse. Eu, às...