quarta-feira, 27 de março de 2013

Obrigada, ainda ha musica, quica poesia, quica encarnados de plantao...


*google images

Nao estamos sozinhos, eu bem sei...
Alguem alado esta a fazer as suas coisas de outro mundo
aqui ao lado
nem que seja o bordado dolarksiano...
Nem andar nem retroceder...
Todo mundo iria rir
se me visse no tentame de andar
no cordao da saideira
achando, no meu orgulho,
que eu corrigiria de vez a patologia,
de um so folego.
Dessa vez, foi algo feito ricino
um veneno morno o que usei,
caro como a Royal Canin Renal...
O  sangue da vida vai jorrando.
O susto abalou-me a terca-feira
pos-me num silencio
quebrado somente por uma
broca de tirar tartaro...
Fica de tudo esse piano
que nunca antes ouvira...

Obrigada a Samantha, Caique, Karla, Grasiela,
espiritos encarnados de plantao na madrugada,
atentos ao menor sinal de fraqueza...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

verso bordado

Lá fora a luz do dia, baça. Tu me disseste qualquer desafeto, verso E foste embora sem adjetivo que se interpusesse. Eu, às...