quarta-feira, 13 de março de 2013

Alusao ao rio


 
*google images

Hoje me veio a sensacao antiga, de que seria bom ter ido embora, fazer nova vida em Portugal. E quando as coisas vao dando aparentemente errado que a saudade de lugar ermo me vem, como capitao que oferta ex-voto e promessa.
 

Barca Bela

Pescador da barca bela, Onde vais pescar com ela. Que é tão bela, Oh pescador?
Não vês que a última estrela No céu nublado se vela? Colhe a vela, Oh pescador!
Deita o lanço com cautela, Que a sereia canta bela... Mas cautela, Oh pescador!
Não se enrede a rede nela, Que perdido é remo e vela Só de vê-la, Oh pescador.
Pescador da barca bela, Inda é tempo, foge dela Foge dela Oh pescador!
Almeida Garrett

Nenhum comentário:

Postar um comentário

verso bordado

Lá fora a luz do dia, baça. Tu me disseste qualquer desafeto, verso E foste embora sem adjetivo que se interpusesse. Eu, às...