domingo, 31 de março de 2013

Adeus, marco de 2013...


 *google images

A agua vai fluindo, preenchendo todos os caminhos.
Desertos, livros e repeticoes da materia.
Mais uma Pascoa do Senhor Jesus.
Eis o que e preciso sofrer.
Acordei pensando na etimologia
da palavra sofrimento.
Em fariseus e galileus.
E gente de Corinto.
Em templos e casas do Caminho.
No destino de Saulo de Tarso.
No rosto sereno do Dalai Lama.
No Tibet, nos Himalaias.
Na magreza de Ghandi.
Em Zumbi dos Palmares.
Nos desertos. Na Siria, Palestina, Israel.
Jerusalem e seus muros e papeletes
e chapeus improvisados de jornal.

 (Gordon W. Allport, ex-professor de psicologia de Harvard, ousa dizer que, por terem transformado tudo, em especial a psicologia profunda, em “psicologia das alturas”, os estudos de Viktor Frankl deram origem ao “movimento psicológico mais importante de nosso tempo”. Tanto os médicos como os pacientes têm de olhar para os montes, para cima, para as alturas, para Deus, onde encontrarão a chave de tudo: o sentido da vida. Só assim será possível vencer o vazio existencial, que Frankl diz ter sido a neurose do século 20.) In ultimato, revista 327 - Viktor Frankl, o salmista do seculo 20.

Penso no rapaz a quem atribuo pendores de Rei.
No grupo de cantantes.
Nos lixoes do Brasil.
Nas Cataratas. Na regiao do Iguacu.
Nas margens do Parana.
No fluxo do Paranapanema.
Dores, agruras, privacoes, flagelacoes.
Cegos e ungidos.
Despertos.

 (Como a corça anseia por águas correntes, a minha alma anseia por ti, ó Deus. A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo. Todo o meu ser anseia por ti, numa terra seca, exausta e sem água. Estendo as minhas mãos para ti; como a terra árida, tenho sede de ti - Salmos 42, 63 e 143)

 “Todo o meu ser anseia por ti nesse campo de concentração, sem nome, sem família, sem consultório, sem cartas, sem livros, sem nada”. Viktor Frankl.

Revelacoes.
O simbolo da cruz cristica...
A visao do Cristo.
Penso nos depuradores, centrifugas
e outros aparelhos da bioquimica...
Penso no mundo Terra
cujo sentido carece de Edgard Morin
e no bem olhar uma orquidea.
Penso nos homens e sua secura
que so flui quando uma adversidade
os acolhe.
Assim professa Hanna Arendt.

A presenca do Deus ignorado: “além do elemento instintivo, havia o elemento espiritual inconsciente”. Viktor Frankl.

Penso no conteudo inquieto dos meus sonhos,
povoado de ideais de mulher
que nao puderam ser alcancados,
por incompetencia, por preguica,
por parecer saida facil, disse-me um dia meu irmao Mauro...
Nada de intuitos altruistas, missionarios.
So o corpo do outro,
fechado em madeira de barco
e ao mesmo tempo
lingua forte preenchedo os caminhos
da minha boca,
uma mistura de ontem e amanha.
E eu, desperta, para canta-lo.

“o ser humano não é impelido pelo impulso, mas puxado pelos valores”. Viktor Frankl

O "medico do vazio existencial" nao reconheceu Jesus em vida, diz a pesquisa de ultimato. Nao o viu. Tinha em si, contudo, emblema similar:  Buscar as alturas, os Himalaias.

Assim me despeco de marco de 2013. Buscando as montanhas. As alturas, o fogo dos vulcoes. A agua que escorre de cima, e preenche todas das acomodacoes as quais tem acesso, serena ou aspera, depende da inclinacao da terra que a sustem, em perene renovacao...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

novembro musical

Sem alarde O memorial dos olhos quentes da mãe Nenhuma culpa História Os encontros soprosos. Dava gosto! Como tecer um p...