quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Paciencia borboleta


*google images e post de Clyete Silveira


Era uma vez uma borboleta, que estava ainda no casulo.
Seria uma borboleta ou um ser ainda bruto????
Impaciente ela estava, querendo sair do seu casulo, do escuro!!!
Com o tempo o seu corpo..., Com o tempo suas asas.....
A Metamorfose já estava feita.
O casulo foi aberto com tanto esforço, querendo ver o que havia lá fora por dentro!!!!
Quando a Borboleta saiu do seu casulo, ficou espantada!!!!
Com tanta beleza revelada!!!!
Suas asas ela abriu, seu primeiro vôo foi perfeito,
O vento, as flores, sentiu a vida nesse momento.
....., ..........., ...........,
Percebeu que todo tempo tem o seu tempo
Que toda ansiedade e tormento que passara no casulo,
Era o seu próprio amadurecimento se fortalecendo,
Para poder viver e voar neste belo mundo intenso!!!!!!!!
Clyete S.S.
 
 
Passa uma Borboleta

Passa uma borboleta por diante de mim
E pela primeira vez no Universo eu reparo
Que as borboletas não têm cor nem movimento,
Assim como as flores não têm perfume nem cor.
A cor é que tem cor nas asas da borboleta,
No movimento da borboleta o movimento é que se move,
O perfume é que tem perfume no perfume da flor.
A borboleta é apenas borboleta
E a flor é apenas flor.
Alberto Caeiro
 
E esse e meu, para meu primeiro namorado:
 
Haikai quebrantado
 
Mensagem de novo amor
borboleta azul
Meu corpo cedeu em flor
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ensaios

baú patrimônio  imemorial oxidação teus passos meus passos abstinência arco e chifre olhos plácidos camisa alva e p...