quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Alfama dos meus ais

Dia atipico, cheio de dores. Rins, nervo ciatico, algo a esquerda, de expressao densa, profunda, gelido no centro, quente nas bordas. Sonso. Toda energia materica agastada ali, uma mao pesada e marcante, espremendo. Tambem neste dia chuvoso eu nao te vi, a principio achei melhor, nao saberia como sentar-me, nem onde por as maos, nem o que dizer, ou o que sorrir. Do lado esquerdo, o coracao bate. O espirito chora, sentimental e tao crianca coitado, tao crianca... martir, acusaria meu pai... o que me deu sempre a sensacao de que chorar e para os fracos...
E entao postaram o Chico, obrigada mesmo... a dor nao foi embora, nem as lagrimas, nem a criancice... o coracao e que ficou mais embalado, no silencioso deslisar dos carris... serei feliz, serei, serei feliz...




Nenhum comentário:

Postar um comentário

ensaios

baú patrimônio  imemorial oxidação teus passos meus passos abstinência arco e chifre olhos plácidos camisa alva e p...