sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Dificuldades



 *provence mon amour

Algumas palavras, silabas,
Soam mal quando cantadas.
Causam equívocos,
Tem duplo sentido.
Este e o doce trabalho
A que me proponho
E para o qual peço  proteção.

LIBERAÇÃO. O perigo gera o movimento. Através do movimento escapa-se do perigo: isso é a liberação. Durante a liberação "o sudoeste é favorável", indo ele conquista multidões. "Seu regresso traz a boa fortuna", pois ele conquista a posição central. "Se ainda há algo a que se deva ir, apressar-se traz boa fortuna", pois ir é meritório. Quando o céu e a terra se liberam, o trovão e a chuva surgem. Quando o trovão e a chuva surgem, a casca de todos os frutos, plantas e árvores se entreabre. Grande em verdade é a época da LIBERAÇÃO.
A tempestade purifica a atmosfera. O homem superior procede de modo semelhante ao tratar dos erros e falhas humanas que provocam estados de tensão. Ele promove a liberação através do esclarecimento. Mas quando as faltas vêm à tona, não se detém insistindo nelas. Ao contrário, procura relevar as falhas e as transgressões não intencionais, assim como o som do trovão extingue-se ao longe. Ele perdoa as culpas e as transgressões deliberadas, assim como a àgua a tudo purifica.
Épocas de liberação exigem resoluções internas. Não se podem afastar os homens inferiores através de proibições ou de meios externos. Para que possamos nos livrar, devemos primeiramente liberar-nos por completo deles interiormente, pois então perceberão por si mesmos que estamos tomando as coisas a sério, e se retirarão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

verso bordado

Lá fora a luz do dia, baça. Tu me disseste qualquer desafeto, verso E foste embora sem adjetivo que se interpusesse. Eu, às...