quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Acidente vascular cerebral

*foto de Helena Isabel Sobral, descobrir Portugal

Isso e aneurismas, tumores, neuronios torrados, teletransmissores corrompidos, surdez, visao conturbada, falta de tato e sensibilidade e movimento...
Isso e Distancias, distancias propostas, necessarias, impostas,
o tempo trabalhando para que possamos decidir
entre ficar no estagio em que nos encontramos
parados
congelados de medo
ou observar o painel da estacao
em busca do proximo trem.
Queremos casa
carro
guarda-roupa
guarda-louca
despensa repleta
penduricalhos
corpo escultural
inteligencia 169
companheiro
filhos
sucesso
insights
a cancao de trabalho do Grammy
o Oscar
(de preferencia caidas do ceu,
todas as delicias,
acompanhadas de ventiladores de abano)...
o que mais
para um aspirante a semi-deus?
E ai vem o irmao consanguineo,
o segundo de tres
e noticia
estresse e AVC.
Leve, e bom que se saiba,
ao que parece,
ele ja retomou o leme.
O filho dele tem tres aninhos,
e a coisinha mais lindinha desse mundo.
Escrevi a esse irmao assim:
Desejo a voce lucidez. Que voce trabalhe os anseios dentro da realidade e pense que a vida nao se limita a esse plano e que a continuacao dela depende muito de como estamos agindo aqui. Eu te amo muito!!
Escrevi, no embalo de Andre Luiz.
Escrevi para o Cezar e tambem para mim.
As Distancias se estabelecem para que possamos estruturar nossos esquemas de resgate. Nem todos sao adversarios, nem todos sao afins. E e por isso que existe espaco no tempo e tempo no espaco. Que tenhamos a chance de fazer aquilo que deve ser feito. Que possamos entender e aceitar o que deve ser feito. Que possamos revisar, toda vez, as imagens que construimos. Que possamos reconsiderar, sempre, nossas propostas de acao. Porque a reacao vira, impregnada dos sentimentos que desencadearam a acao. Ha muito o que desenvolver nesse campo ideativo. Minha narrativa depende de maior aprofundamento e menos medo. Preciso voar.
Dai-nos, Senhor, a serenidade para ordenar o caos e desfazer a ordem, quando ela nao convem... livrai-nos dos AVCs e outras falencias que nos embaralhem a memoria, nos aprisionem ainda mais a alma e a impecam de mirar o farol. Obrigada pelo novo guia de sinalizacao ao qual tenho tido acesso. Ilumina a estrada, querido Pai. Que assim seja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

novembro musical

Sem alarde O memorial dos olhos quentes da mãe Nenhuma culpa História Os encontros soprosos. Dava gosto! Como tecer um p...