segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Fatos e fotos


*foto do Sr. João, na câmera da bela Edeline Kieltyka. Estamos então na casa do Igor Henrich, marcando o fim de um ciclo, que bem poderia anteceder outro, acompanhando os filhos que virão...

Que doce surpresa...
tesa a respiração...
daquele jeito
que não termine
que seja verdade...
a alma age como uma tonta
corpo exausto
encalorado
instintos a espera
é o perigo
é o deserto
é um íntimo momento...
é a aura verde
a esperança
de que uma imensa
saudade
virá
e rasgará o céu de ponta a ponta
anunciando
enfim um nascimento.
Não importa se é mentira,
é o desejo,
doce e ardente desejo
de viver nessa vida
o encanto, o encontro, a Creação de Rohden, a Beleza, o Sublime...
No tempo de sonhar O Filho do Homem
um roçar
faz mover vulcões...
Jesus, eu amo!

Que lindo, 14004 acessos, dessa vez foi bem rápido... um forte abraço a todo mundo que torce pelo dia em que herdaremos a Terra.

 ** do i ching

Este é o ponto de transição. Aqui o homem já não olha mais para fora, para receber imagens limitadas e confusas, porém dirige a contemplação a si mesmo em busca de orientação para suas decisões. Essa introspeção representa a superação do egoísmo ingênuo daquele que vê a tudo de seu próprio ponto de vista. Ele começa a refletir e com isso se torna objetivo. Porém, o autoconhecimento não consiste em alguém se ocupar dos seus próprios pensamentos; é, isto sim, voltar-se para as conseqüências do que criou. É somente através dos efeitos resultantes de sua vida que uma pessoa pode julgar se o que realizou significa progresso ou retrocesso.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

novembro musical

Sem alarde O memorial dos olhos quentes da mãe Nenhuma culpa História Os encontros soprosos. Dava gosto! Como tecer um p...