domingo, 18 de novembro de 2012

Voir le, que l'horizon galant!



 

Permettez-moi de mettre votre photo, querido Cyro, que ela me encantou de forma especial nesta tarde de domingo. Eu em Seatle, especificamente em Chinatown, envolvida na historia de Henry, um cantones-americano amante de jazz e, para dar um intervalo entre varrer a casa e voltar a ler, abri a janela e eis que a Eiffel sorri assim, esbelta, a convidar para outros rumos, outras ocupacoes interessantes,  diferentes das semanais e rotineiras sessions.



Je vous remercie, Cyro. Conheco quem fale fluentemente frances, talvez outros idiomas. Ouvi algo sobre tradutor juramentado. O diferente e prazeiroso a fazer seria estudar a fundo outra lingua, bem como aprimorar os estudos do portugues, sao pelo menos 26 paises falando esta lingua, com seus dialetos e particularidades, muitos utilizando o frances tambem como idioma. Valeria a pena encontrar em mim a forca necessaria, o ferro, o potassio, seja la qual for a quimica deficiente. Que l'amour, aussi douce soit-elle, ne suffira pas à soutenir ma poésie. Encore une fois, merci!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

novembro musical

Sem alarde O memorial dos olhos quentes da mãe Nenhuma culpa História Os encontros soprosos. Dava gosto! Como tecer um p...