segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Se possivel

Eu disse ao jovem com quem trabalho, por esses dias:
deu algum enguico em mim, acho que foi no periodo
em que ficaram me dando os choques,
e que culminaram em uma quase partida dessa vida,
um vinte e seis de janeiro qualquer...
E fiquei assim, chocada,
paralisada portanto,
num periodo emocional
dos quatro para cinco anos,
em que as coisas ainda nao vao muito bem
em termos de posicionamento perante a vida.
Ainda nessa fase,
queremos as coisas muito do nosso jeito
e quando isso persiste na fase adulta...
Hoje eu reagi assim,
envenenada pelo onipotencia de meus cinco anos...
sai lamuriando e batendo portas...
Se for possivel, perdoe-me My Lord.
Que e o que tratarei de fazer por mim...
Nunca consegui que um grupo musical
tocasse do jeito que desejo...
Nunca consegui sustentar-me
na lideranca de qualquer grupo musical,
sequer sustentei uma parceria...
Sinto que nao devo me culpar por isso.
Se tomei os meus choques
os objetivos
e os metaforicos
Os grupos e os parceiros tomaram os deles
e estamos todos assim
tomando choques
chuvas meteoriticas
radiacoes de explosoes solares...
Mais uma vez, perdoe-me, se possivel...
pelos rasgos de odio que tive nessa manha,
cena de Almodovar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

novembro musical

Sem alarde O memorial dos olhos quentes da mãe Nenhuma culpa História Os encontros soprosos. Dava gosto! Como tecer um p...