domingo, 14 de outubro de 2012

Tesouro

Livro - Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata, A
*livraviacultura


Sempre peciso de um tempo apos a leitura de um livro.
Acabei de ler A sociedades literaria e a torta de casca de batata,
de Mary Ann Shaffer e Annie Barrows.
O livro e locado, la da liglivros**
Por sorte, tenho o costume de ler orelhas
e a capa de tras apos esmerilhar o livro todo.
Penso com isso conservar todas as surpresas preservadas,
para saborea-las no final.
E assim foi.
Este e desses livros que se comeca a ler pelas 22h
e so se para quando chega a ultima pagina,
uma excelente companhia,
para aqueles que encontram companhia
nos livros.
Como minha vida nao tem sido muito organizada,
apesar de exigir meditacao diaria
e a escrita de todos os afazeres na agenda
com previsao para os proximos cinco anos,
li A sociedade literaria aos poucos,
durante cerca de quinze dias,
sem sobressaltos ou arranhoes,
como mergulhar no mar a cada retomada.
Nao tecerei nenhum comentario
ou farei sinopse.
Convido a todos os vinte leitores desse blog
a le-lo.
E mais, convido-os a comprar o livro
porque acredito,
vai ser dificil para alguns
ficar sem ele por perto
nos proximos dias.
Nunca senti as pessoas tao vivas
tao promissoras
nunca senti tanta esperanca
de encontrar pessoas como as que encontrei,
desenhadas nas paginas da Sra. Shaffer.
Mary ja esta em outro plano, desencarnou em 2008.
Agradeco a oportunidade de visualiza-la
neste compendio.
Pelo que entendi, este e o seu livro, o unico.
Mary escreveu Elisabeth, icone de milhoes
de desencarnados da guerra,
Mary escreveu a possibilidade
de amar atraves das cartas.
A proposito, o que eu nao daria
por receber tais correspondencias...
O que deve ter sido, na epoca,
voltar a usar roupas limpas, tomar banho,
comer um chocolate,
receber uma correspondencia.
Eu, que nao faria sinopse, ja estou a soltar a lingua...
O domingo para mim ficou cheio de portais.
Fiz-me ontem um frango de forno e um arroz com lentilhas
que pretendo almocar logo mais. Tambem tem um licor, que fara bem,
um so golinho.
Mais tarde, retomarei meus escritos para o SESC PARANA,
no afa de que eles ajudem a algum professor de educacao musical
que cante.
Sentindo na pele um gosto do sal de Guernsey.
Um abraco a todos. LEIAM. O mar e quente nos livros. Tem mais som!

**visitem o site

Nenhum comentário:

Postar um comentário

novembro musical

Sem alarde O memorial dos olhos quentes da mãe Nenhuma culpa História Os encontros soprosos. Dava gosto! Como tecer um p...