domingo, 28 de outubro de 2012

Aproximam-se os doze mil acessos

Boa noite aos vinte e cinco leitores
de todas as racas
e credos
e generos
que me acompanham
na lida literaria de cada dia.
Estamos no ar desde julho de 2009.
Escrevo hoje tambem para aqueles que nao veem
para os gelatinosos
que se movem do pescoco para cima
para os que nao ouvem
escrevo para os que tiveram
desilusoes com seus pares
para os que se apaixonaram
e foram preteridos
para aqueles que olharam as ruas hoje
e seu coracao estava amargo
escrevo para mulheres e homens
espancados
abusados
para as senhoras que trabalham
na Ouvidor Pardinho
para os trabalhadores das minas
para os lixeiros da madrugada
para os motoristas de taxi
para os andarilhos de opcao
para os feirantes
e os fazedores de pao
para os casais novos
para os sozinhos por opcao
se e que eles existem
escrevo a pos-modernidade
para que ela va embora logo
escrevo para o meu amor nao meu
em geral um gentleman
para os que ainda ouvem Beethoven
e tocam Bach
e se alimentam de canto






Nenhum comentário:

Postar um comentário

novembro musical

Sem alarde O memorial dos olhos quentes da mãe Nenhuma culpa História Os encontros soprosos. Dava gosto! Como tecer um p...