domingo, 2 de setembro de 2012

Voltando ao radio



 
*google images 


Por Phelipe Tosoni


CONSELHO DE DIREÇÃO DÉCIMA ARTE:
 Receber elogios é algo que sempre nos faz sentir especiais. Retribuir um elogio é tão bom quanto. Gostaria de dizer que meu amigo Gênio faz jus ao nome. Estamos descobrindo habilidades incríveis no jovem garoto. Ele escreve crônicas realmente boas, tem a ousadia e a irreverência de um digno apresentador de rádio ou crítico de artes e ainda se mostra muito criativo para nomes. Ele vem batizando todos os quadros e idéias do nosso novo projeto e os nomes conseguem expressar exatamente os milhões de conclusões a que chegamos ao longo das aulas.
 Ainda formando nosso Conselho de Direção ou não sei ao certo o nome, mas nosso grupo tem o Pai que sempre foi o cara mais centrado do time. Os argumentos do homem parecem não ter fim. Numa conversa entre amigos ele confessou “sempre tive dois sonhos que pensei que estariam longe de se realizar: o primeiro, ser holding e eu o consegui realizar ha algum tempo. O outro era participar de um programa de rádio, e parece que estamos próximos”. Esse sentimento de realização faz muito bem pra alma. Acredito que os sonhos é que nos motivam a continuar existindo quando a esperança é obscura. Versinhos a parte, ele parece mesmo empenhado com o projeto.
Claro que falar da Mestra é algo meio suspeito, mas posso dizer que em três anos de convívio semanal eu aprendi muito, não apenas sobre música ou canto, mas acho que aprendi muito sobre a vida em geral. Talvez os garotinhos do primeiro ano tenham crescido um pouco, mas ela sempre nos mostrou aquilo que tínhamos de melhor e nos encorajou a melhorar isso, ao inves de tentar “corrigir” o que tínhamos de errado. Respeito, amizade e muita vontade de querer continuar aluno de Canto Solista são as coisas que pensei em todos esses anos.
 Deixei para falar de mim ao final, porque na verdade, é muito estranho fazer qualquer tipo de comentário sobre si mesmo. Só posso dizer que quero me esforçar tanto quanto meus amigos e fazer esses sonhos se realizarem, porque muitas vezes ver alguém feliz é tão bom quanto estar feliz. Nunca me imaginei numa rádio, mas o desejo de ver isso acontecer é imenso. Que a Décima Arte se realize e que o mundo de sonhos comece logo.

Por mim:

Bem amigos da rede... andei voejando entre uma porcao de CDS que tenho guardados desde o inicio deste seculo 21. Ja comentei o assunto. Sao programas de radio que produzi, juntamente com colegas de trabalho da FAP e que se encontram calados, deslocados no tempo, vivos somente para mim, guardia do arsenal. Objetos reais, audiveis, fiquei pensando o que fazer deles em 2012. Poderia simplesmente veicular parte do conteudo aqui, e quem sabe eu o faca em breve.
Tenho ministrado aulas a esse trio ao qual o Phil se refere e essas aulas tem um toque de estetica, outro de filosofia, de critica social, critica de arte e analise de procedimentos na conduta dos estudos sobre musica. Cantar e nossa ferramenta principal. Imaginei, a partir dos 135 Ciclorama que tenho, criar um espaco em que esses jovens estudantes de musica pudessem veicular suas ideias sobre fazer musical, sobre coisas para ouvir, um espaco para convidados de todas as vertentes musicais e quica um intercambio com outras artes, uma mistura de Bravo, Roda Viva, Metropolis, Almanaque, La e Ca, Provocacoes, Ra-tim-bum, Conexao Roberto D Avila, Cara e Coroa, Planeta Terra e outros programas aos quais baseamos a primeira versao da revista de arte radiofonica.
Estamos empenhedos na montagem do programa piloto, com meia hora de duracao. O tema escolhido foi estabelecer relacoes entre a preparacao do atleta e a preparacao do musico, a fim de chegar ao melhor desempenho de ambos. Quanto trabalho e necessario e qual o foco desses dois personagens. Para a semana que entra, vou deixar a diretoria, ou conselho editorial, a sos, definindo o roteiro e as articulacoes do programa, gravando  alguns takes, para sentir a dinamica e a sonoridade. Ficarei fora da sala, para nao servir como rolo compressor e para, intimamente, abrir mao das impressoes dos programas produzidos anteriormente, muito meus, aos quais dediquei bastante empenho e afeicao. Terei tambem os meus cinco minutos no ar garantidos. Entao ficarei em paz, na espera, na escuta do momento. Nao se trata de refazer caminhos, mas de abrir outros, com direcao e perfil proprios. O sonho agora e dos meninos, eu somente atuarei como um passarao que vai joga-los do ninho, para que voem e cuidem das proprias existencias, ou ideias, e o mesmo. Uma vez engajados na radio, deverao passar um tempo la, produzindo programas semana apos semana, respeitando os ditames da emissora que os acolhera, e que respeita a tendencias especificas, sendo radio estatal. E isso nao e tarefa simples. Que pretende, tal programa novo, intitulado Decima Arte, angariar os nove mil acessos que eu tive aqui, em dois anos e meio de edicoes diarias, sem outro apoio cultural ou divulgacao que o passa repassa de internautas aficionados. Boa sorte ao conselho editorial do Decima Arte, que chegue feliz a conclusao de seu programa piloto.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

ensaios

baú patrimônio  imemorial oxidação teus passos meus passos abstinência arco e chifre olhos plácidos camisa alva e p...