sábado, 15 de setembro de 2012

Para sonhar o objeto ausente

Cantiga para ninar Malvina

Dorme, menina dormida
teu lindo sonho a sonhar
No teu leito adormecida
partiras a navegar

estou presa em meu jardim
com flores acorrentada
Acudam! vao me afogar
Acudam! vao me matar
Acudam! vao me casar
numa casa me enterrar
na cozinha a cozinhar
na arrumacao a arrumar
no piano a dedilhar
na missa a me confessar
Acudam! vao me casar
na cama me engravidar

No teu leito adormecida
partiras a navegar

Meu marido, meu senhor
na minha vida a mandar
a mandar na minha roupa
no meu perfume a mandar
a mandar no meu desejo
no meu dormir a mandar
a mandar nesse meu corpo
nessa minh alma a mandar
direito meu a chorar
direito dele a matar

No teu leito adormecida
partiras a navegar

Acudam! me levem embora
quero marido pra amar
nao quero pra respeitar
Quem seja ele - que importa?
moco pobre ou moco rico
bonito, feio, mulato
me leve embora daqui
Escrava nao quero ser
Acudam! me levem embora

No teu leito adormecida
partiras a navegar

A navegar partirei
acompanhada ou sozinha
Abencoada ou maldita
a navegar partirei
Partirei pra me casar
a navegar partirei
Partirei pra me entregar
a navegar partirei
Partirei pra trabalhar
a navegar partirei
Partirei pra me encontrar
para jamais partirei

Dorme, menina dormida
teu lindo sonho a sonhar

                                   Do livro Gabriela, cravo e canela, de Jorge Amado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

verso bordado

Lá fora a luz do dia, baça. Tu me disseste qualquer desafeto, verso E foste embora sem adjetivo que se interpusesse. Eu, às...