quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Enamore

Tarde no Paco.
Duas meninas.
Tres pontos de vista.
Pensei manobras,
assustada que estava:
seduzir
manipular
adular
coagir
subornar
impingir.
Nao foi preciso,
fui enamorando
como desejava
e sei fazer.
Impressao que me ficou,
enamoraram-se.
Certeza,
uma das mocas
jamais esquecera!
Cantamos
alalas,
murmuramos,
mostrei
o canto pelo nariz
de garganta
de peito
de cabeca
misturado.
A sala, de boa acustica,
foi mae.
Nos raros intervalos,
lembrava a mensagem
recebida ao celular,
pouco antes de sair
pro trabalho,
e agradecia
a intercecao do Arcanjo Gabriel
que o deve ter chamado a canto
e alertado:
esta sofrendo a dona,
ela gosta de voce,
da uma satisfacao a ela.
Obrigada, fico alegre,
porque afeto gera afeto.
Amanha o Sr. Plinio Silva
leva o grupo sozinho,
falando dos ciganos.
Sorte e afeto para ele.
Sorte e afeto tambem
para os momentos
em que encontro
reclames
que nao desejaria ver,
NUNCA MAIS!!!,
nos espacos internauticos
de quem eu mais desejaria amar.
Pode ser pior
podem ser amigos
frequentarem-se as casas
trocarem-se elogios e amores
que que eu posso fazer
senao pedir outra vez
defenda meu coracao
Miguel Arcanjo
que as pancadas
sao certeiras
e danosas!!!
"If I can stop one heart from breaking
I shall not live in vain"...
Enquanto isso, vou sobrevivendo:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

novembro musical

Sem alarde O memorial dos olhos quentes da mãe Nenhuma culpa História Os encontros soprosos. Dava gosto! Como tecer um p...