sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Moinho de mares da Mourisca

Os sonhos se mesclam ao sol da manha
diferenca entre ancorar
e cruzar de reves
ou partir sem passaporte
sem rumo
sem ninguem
eu que sonho teu olhar
teu riso
tua voz
e assim aporto
na miragem da Mourisca
a cismar
assim ocupo este tempo
de criar
qualquer musica
qualquer dilema social
qualquer poema
qualquer explosao da alma
a espera de certo cais


Nenhum comentário:

Postar um comentário

novembro musical

Sem alarde O memorial dos olhos quentes da mãe Nenhuma culpa História Os encontros soprosos. Dava gosto! Como tecer um p...