segunda-feira, 23 de julho de 2012

Terra Sonora nos Correios

Foto: <3
 *post do facebook, para os filhos que vem chegando

Ha pouco fiz minha participacao com o Terra Sonora
no auditorio dos Correios, ali na Joao Negrao,
Curitiba.
A principio levei um susto, nao haveria amplificacao
e a viola de arame soava pequenina do fundo da nave
por onde eu entrei.
Existe no camarim um cadeirao vermelho,
entao sentei-me nele e fiz alguns vocalises,
pra perceber o acordar da voz,
o espreguicar da voz pouco antes das oito da manha.
Presente de Deus para o luto,
o dia nasceu esplendido mais uma vez,
me dei conta de estar no orbe as quinze para as seis,
segunda-feira abencoada e serena,
todo mundo em paz,
deslisando em seus carros com certo humor.
Fiz o trajeto brincando de ancora,
irradiando um programa de radio daqueles simpaticos,
quem sabe arremedando algum programa de interior,
dando informes sobre a situacao das ruas
por onde ia passando,
cantarolando
trechos de Sentimental, do Chico,
minha cancao do momento.
A pequena recita foi singela.
Comecou com os musicos apresentando
trechos de temas que em geral sao com canto.
Interessante, sublime.
Ai vieram as falas do pessoal da Prefeitura,
afinal, trata-se de capacitacao para professores
da Rede Municipal, com varios eventos culturais,
dentre outros objetivos
para tocar o coracao das pessoas.
E entao, com a graca de Deus, esse povo nos ouviu.
Cantei  um tema de Kosovo, lindo,
novidade no proximo CD, o sexto do Terra.
Cantei a Seresta do Ze Gramani e da Ana Salvani mais uma vez.
Poucas vezes, talvez mais uma alem do dia de hoje,
Mr. Pilatti nao tocou conosco.
Para mim e como uma falha na camada de ozonio.
Falta-me a voz companheira de tantas concoes.
Falta-me uma especie de Musa, que alimenta
minha imaginacao musical.
Um dos pedacos do meu coracao e dele.
Espero que o Giampiero esteja bem, deixando sua marca
indelevel e autentica
ali no Festival de Inverno de Ponta Grossa.
Amanha ele volta, se Deus permitir.
A tarde, repetiremos a dose.
E amanha, pela manha e a tarde.
E quarta, o mesmo tanto.
Um trabalho muito bom de fazer.
Obrigada pela oportunidade mais uma vez,
Plinio Silva.
O amor tambem e esse trabalho.

Em tempo: nao sei se o evento e fechado ao publico da Prefeitura, temo que sim. Se sober de algo,
aviso os leitores interessados em ouvir a delicadeza do repertorio, executado sem os aparatos da amplificacao. Senti falta da luz de velas pela manha, pelo menos daquelas que gostaria de ganhar de presente. Outra particularidade: o grupo ficou na penumbra, a plateia de luz acesa... estamos esquecendo totalmente as formalidades do teatro, ou descuidando disso. Pena. Mesmo assim, havia uma atmosfera favoravel no ar. Acho que os guris bebes que estao vindo tem dado uma ajuda nesse aspecto. Esse ultimo dito e cisma minha. Giam, que bom, voce existe!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ensaios

baú patrimônio  imemorial oxidação teus passos meus passos abstinência arco e chifre olhos plácidos camisa alva e p...