quinta-feira, 19 de julho de 2012

SegundaSabado

 
*foto do Encontro de Corais UTFPR 2012 - Grupo SegundaSabado
Em 2012 surgiu a oportunidade de termos na UTP um grupo vocal semiprofissional, com perfil e sonoridade próprio, em função das treze pessoas que hoje o integram, a saber: o belo timbre de contralto da Prof Elza Ciffoni ai da veterinária. Um barítono rouco como um trompete, esse é Lucius Savi, aluno de administração. Combinado com o timbre suave do aluno da engenharia Lubar Eduardo dos Santos, mais o timbre levemente nasal do veterinário Jose Vicente Lopes, conquistamos uma base para harmonia bastante sólida. Aí se juntam os timbres nasal do músico Gilson Hack e cristalino de Alex Pacca com essa jogada da Elza e temos um naipe de tenores muito agradável de ouvir. Três mezzos bem diferenciadas uma da outra, a policial militar Jessica Nascimento bem nasal, Edeline Kieltyka muito aveludada e a bailarina Heloisa Sabim como mistura dos outros dois timbres, mais as graciosas Fabiane Correia e Emily Kieltyka, que dão um colorido metálico ao soprano e formamos um time que gosto muito de por em campo, causa-me satisfação dirigi-los. São pessoas bonitas, de boa índole, com quem se pode contar e em quem se pode acreditar, o que nessa lida de montar grupos musicais leigos é tarefa difícil. Quando trabalhamos com músicos, eles podem até se odiar, apóiam-se na música então e fazem o que deve ser feito. No nosso caso, é o afeto que sustenta a produção musical, o que dá um toque humanitário ao processo, cujo valor social é inestimável. Por conta dessa força do afeto é que se torna mais difícil congregar um número maior de pessoas, coisa que poderia ser posta em cheque pela reitoria da UTP. Ao ouvir o resultado sonoro desse pequeno grupo dirigido por mim, Liane Guariente, e acompanhado aos teclados por Igor Henrich e ao violão por Gilson Hack, fazemos a diferença em vários espaços por onde passamos e tal resultado interessa a IES. Por trás do afeto está o objetivo principal – que estas pessoas evoluam musicalmente. E é por isso que começo o texto citando o termo semiprofissional, porque a tendência do trabalho é produzir saltos de qualidade espantosos. Em julho de 2011 o mesmo grupo sequer mantinha a afinação em uníssono. Hoje já testamos aberturas de até 6 vozes, ou seja, dos onze integrantes que cantam, podemos fazer subgrupos de 2+1, 1+1, 3, 3, bem como canções solo. Estivemos na UTP em março, na aula inaugural, no Pequeno Cotolengo em maio, na UTFPR em junho, por ocasião de um Encontro de Corais e o segundo semestre promete vários compromissos, dentre eles uma participação na FAP em agosto,o Encontro de Corais da FAE em setembro, do SESC da Esquina em novembro, dentre outros eventos que organizo durante o semestre. O repertório em 2012 fala de afeto, com canções de Chico Buarque, Milton Nascimento, Gilberto Gil, Noel Rosa, Geraldo Azevedo, dentre outros compositores brasileiros. O time está completo atualmente, não há necessidade de abrir novas vagas por enquanto. Isso não significa que interessados fiquem de fora do processo. Podem vir falar conosco e participar dos ensaios, sempre abertos ao público as segundas-feiras, das 17e30 as 18e55 na sala 322 do Bloco C, Campus Barigui e sábado das 14h as 17h, sala 106 Bloco B, Campus Barigui, a partir do dia 06 de agosto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ensaios

baú patrimônio  imemorial oxidação teus passos meus passos abstinência arco e chifre olhos plácidos camisa alva e p...