quarta-feira, 4 de julho de 2012

Literatura, contos, cronicas cotidianas, leitores para mais de 6900.


* Flip - Casa de Cultura - Paraty - Brasil

Quem diria que eu escreveria e alguem pararia para ler. Bom isso, meu servico mais prazeiroso. No dia da estreia de mais uma edicao da Flip 2012, e bem delicioso sonhar...
Conversam o chileno Alejandro Zambra e o catalão Enrique Vila-Matas sobre o ato da escrita e da leitura. Isso acontece amanha. Eu podia me enfiar num aviao e zarpar para Paraty. Podia me mover durante a tarde e ainda pegaria o Lenine, e seu show Chao, na Abertura da
Festa Literária Internacional de Paraty. 
Bibliotecas parque na Colombia. Silvia Catrillon. Biblioteca parque de Manguinhos. 
100 anos de Jorge Amado. 
E tantas possibilidades de escuta. 
Foi de uma Flip que me chegou o Sr. Amos Oz, Nadine Gordimer, Mia Couto.
Enfim, deve-se respirar, na cidade a beira mar, a palavra.
Amada palavra, balsamo para mim.
Em Curitiba soube ontem da revitalizacao de alguns espacos de leitura.
 Os farois do saber continuam espalhados pelas ruas e eu nunca entrei em um.
Sinto falta de um grande livro nas maos, para uma pequena morte em paginas. 
O Caderno de Maya esta emprestado, e eu nem pus os olhos nele.
Nao tenho acionado a lig livros. A promessa de entrega em casa nao se configurou e isso tirou um tanto o brilho do alugar livros.
Estou muito cansada, e isso.
Consertei um sem numero de termos por aqui, e ainda ha tantos equivocos ortograficos, de construcao frasal. 
Estou muito cansada, e isso... preciso ir ver o mar e entrar nele. Urgente!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ensaios

baú patrimônio  imemorial oxidação teus passos meus passos abstinência arco e chifre olhos plácidos camisa alva e p...