domingo, 10 de junho de 2012

Ouvir o mar de navegar com mirar preciso


A música é esse acordo interno com o desconhecido.
É muito mais que entreter, ou curar.
Poucos músicos tem acesso a esse aprofundamento da consciência.
Muitos leigos tem a oportunidade de aprender
com esses poucos e estranhos cidadãos
que vivem
(sendo espíritos de luz)
suas experiências humanas

Vaga ideia eu tenho de minha primeira audição do mar
foi ali que eu cantei o primeiro brinco
foi ali, sobre a Ponta da Pita
que dei meu primeiro suspiro
foi sobre as pedras de Matinhos
que chorei meu primeiro desespero
foi do Forte às Encantadas
que dei meu primeiro concerto solo
eu, as ondas e o navio na aura do horizonte

A música e o mar se encontram nas noites sem luar
e decidem quais eleitos ouvirão ternas melodias
cadências céleres
ou encadeamentos andaluzes
esse e o dízimo pelo mirar preciso
para o aportar no Estige




Nenhum comentário:

Postar um comentário

ensaios

baú patrimônio  imemorial oxidação teus passos meus passos abstinência arco e chifre olhos plácidos camisa alva e p...