terça-feira, 26 de junho de 2012

Orientações ao segundasabado que podem ajudar a mais gente 2


 * foto de lubar rivero

6 da manhã, dormi pouco, pensando. Senti que demora um pouco para a beleza surgir, para a harmonia surgir, para a equalização surgir... ainda há um tanto de constrangimento com relação ao que seja o espírito de palco... quem fala lindamente sobre o sacrário do palco é Stanislawski... e eu não tenho muito que fazer para ajudar nessa hora, é uma questão de sentir a si e ao outro. Ainda temos problemas com o uso deste veículo que é a Internet, dois componentes do grupo se recusam a acessar o meio, dizendo que aqui não vivemos. Podem estar certos...eu imantei as pessoas que se embolaram no chão no sábado, eu preparei minha saida naquela estratégia, deixei claro que estaria perto, fiz meus contatos, minha parte. O ensaio do sábado foi crucial, divisor de águas. E o batizado aconteceu no domingo, com direito a macarroni sim, que ninguém é de ferro... Na segunda-feira era só "partir pro abraco". Não sei se as dificuldades que surgem são mesmo necessárias, ou zombarias da vida. Se atrapalhar o avanço das gentes encarnadas está mesmo nos planos divinos, nas leis Universais.
Enquanto isso, novos sonhos, de tocar trompete. Pela posição das mãos, de tocar flauta transversal. De estudar musica. De estudar canto.
Do meu lado, prepara-te , ó coração, para as batidas de asas, rumo a outros ninhos...
Enquanto isso, vozes de cantores vão tomando forma, vão-se revelando solistas...
Como muitos dias curitibanos, a apresentação comeca embaçada, emburrada, sisuda e só na terceira passada dos temas é que a coisa pega, vira o que será um dia um show. Precisamos nos tornar "figurinhas carimbadas primeiro", ou seja, fazer nossos nomes primeiro. Mas o show pode sair, justamente para irmo-nos tornando conhecidos.
Claro, os enroscos previstos - e várias vezes sinalizados - ficaram bastante evidentes: quem está há mais tempo junto e SINTONIZADO, ensaiando com assiduidade, ligado por amor, não tenho mais o que dizer, é gritante isso,  fica em evidência, soa mais. Sentimos muito informar. Trabalho é trabalho. Equilíbrio entre seriedade, lazer e profilaxia. Afetividade - construção da voz cantada - Arte.
Os homens do barítono, vestidos para matar, já compunham seu esporte fino na ocasião desse ensaio geral, em sua tradicional elegância, e SUAVIDADE habitual. As raparigas vem percebendo isso, respondem bem. Fui ficando mais e mais emocionada e ansiosa, a medida em que novos participantes adentravam nossa magnética 322C. Todas as peças, inclusive Encontros e Despedidas, estão audíveis. Demora um pouco, como disse, para ganharem a beleza que os arranjos merecem. Procurem, caros leitores, nos textos que venho escrevendo, identificar as orientações chave - imagem, ligada ao som, ligada a harmonia, ligada a encanto pessoal, ligada a presença cênica, ligada a potencial dramático... vou terminar esse capítulo dizendo algo gravíssimo: pensem em quantas bilhões de vezes as pessoas encostam as bocas uma na outra e isso não significa nada, quanto isso representa em gasto energético... e quantas vezes quereriam fazê-lo, do fundo de seus corações e essa espera vira combustível para a criação artistica, além de várias noites de insônia...bom dia a todos.

continua...

É um modo particular de encarar o processo criativo, essa coisa do beijo de que lhes falei. Vocês poderiam se colocar na defensiva, como correpetidores apenas, eximindo-se de qualquer responsabilidade artística. Mas são intérpretes, e intérpretes criam condições extraordinárias para a música, sejam leigos ou profissionais. Iso 16000. Intérpretes renovam a música. Re-fazem a música que interpretam. Intérpretes se adonam dos temas de outrem, portanto sua responsabilidade é maior. Por exemplo, Vicente teve a feliz oportunidade de assistir ao compositor Milton Nascimento abrindo o show que fez aqui nesta cidade gélida com Encontros e Despedidas. Imagino a emoção que é.Você está cantando esse tema com seu grupo e vê o compositor em pessoa, cantando ali na tua frente o tema em que você faz um solo. Esse tipo de relação com a música é imprescindível para cada um de nós. Ainda bem que o pesquisador Richard Miller abre seu livro, La structure du chant, falando exatamente sobre essa imaginação criadora presente num bom intérprete, aí voces não ficam imaginando que são coisas da minha cabeça viajante. Atualmente estou tendo mais condições de embasar cientificamente minhas falas e o quero fazer com propriedade nos próximos quatro anos, falando de afetividade no tipo de proposta que realizamos. A medida que eu for adentrando a este conhecer, divido com vocês, da maneira mais lúdica e terna que souber.
Estou pecando ainda no conceito de erro, ou não. É que aconteceu comigo o mesmo que aconteceu com a Mme Curie. Ela envenenou-se com suas pesquisas com o elemento químico rádio. E veio a falecer por conta disso. Tadinha...
Acredito, não morrerei por amor...só dói como que...

continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

verso bordado

Lá fora a luz do dia, baça. Tu me disseste qualquer desafeto, verso E foste embora sem adjetivo que se interpusesse. Eu, às...