domingo, 24 de junho de 2012

O corselet e o panama



 
* google images

Uma linda menina, linda, que doi
deixa de cantar porque nao lhe cai bem tal saia gode
                                          *
Um homem toca meu coracao a ponto de esse coracao quase colapsar
de eu interromper fases de respirar para que nao me escape do peito
o tumultuoso coracao
                                           *
Uma linda menina, linda, que doi
olha de longe o canto das que vao por-se em saias gode
                                           *
Um homem me oferece a possibilidade de lhe presentear com um chapeu
um chapeu panama foi o que sonhei primeiro


 *google images

mas poderia ser o chapeu que usava meu avo Lucio
cinza chumbo, classico
                                 *
uma linda menina, linda, que doi
me ouve a confissao ansiosa, do fundo de coracao ja velhusco
eu amo e e um bonito amar
                                  *
bonito iria ficar o cinza chumbo
com a jaqueta de couro que ele veste
ai Deus, que ele fosse o homem a caminhar comigo
com a mao sobre meu ombro
                                  *
torturada por excitacoes pueris
nessa altura da vida
sonho
                                 *
queria que a moca fosse cantar
porque piano, violino, cello e percussao
sao manjar dos deuses
e nao e sempre que se pode
te-los perto, de acompanhamento para o canto
 Espartilho Brocado Underdust Tightlacing Preto

*google images

eu compraria um corselet,
se coubesse em um
usaria a tal saia gode...
deixar de cantar e que nao
                        *

eu lhe comprarei o chapeu
para lhe dar, de amor
e desejarei que o toque da minha mao na sua
nao lhe cause gastura
                        *

a vida  e assim
e deixa a menina sozinha na plateia
olhando o seu homem a cantar
olhando as outras meninas a cantar
ela, linda, que doi, que canta como rouxinol
                        *
e eu Deus?  O que vai ser de mim?



Nenhum comentário:

Postar um comentário

novembro musical

Sem alarde O memorial dos olhos quentes da mãe Nenhuma culpa História Os encontros soprosos. Dava gosto! Como tecer um p...