sexta-feira, 6 de abril de 2012

A santa da sexta-feira

A santa da sexta-feira esta com seu manto azul bebe secando ao sol...
Ao longe, o brega dos anos 2000 ressoa... em geral, silencio
A dona da Julie viajou
e já ontem não havia sombra de saudade...
melhor assim,
que então o cachorrinho dorme em paz no colo do menino Jesus...
Jesus tinha cachorro? Pomba talvez? Peixinho?
Eu, vinda de madrugada confusa, cheia de aeronaves da Varig no solo
cheia de dificuldades pra chegar ao portão de embarque,
tempo passando,
medo de perder a conexão,
os rapazes do grupo ja a bordo...
Eu cheia de dificuldade com toillets, com deslocamento, com comunicação...
A santa da sexta-feira deixa também o branco de seu manto secando ao sol
Penso em aguas, em mar.
Eu aninhada entre flores estampadas no pano, perfume de mate verde no ar
Abri um livro de Alexandre Dumas, primeiro tomo de cinco
e lá esta a descrição do lugarejo de Worms
e lá esta o que poderia ser a figura do príncipe
José Balsamo e seu codinome na tradução de 1958
da Livraria Fittipaldi.
A manha caminha em meio
há necessidade de tomar algumas decisões
escrever artigos
enfrentar bibliografias
os desafios de novas aulas
do doutoramento
e eu me enredo nos cabelos da santa...
seu colo e frio e suarento
de tímida cerâmica
o rosto tão bem definido
indica Santa Rita ou Fátima...
essas mulheres, reais, aparições
ternas mulheres consoladoras.
Nesta sexta-feira da paixão
Eu rezo esta pequena quadra para uma delas:
Permita-me, santa da sexta-feira, compreender
as facetas dessa vida terrestre, o que seja objetividade...
Permita-me aceitar minha situação de subjetividade
e a cumprir os tramites do projeto assinado a muito...
que assim seja

Votos de bonança para as mães ainda acamadas, Vicente, Karla, coragem...
Votos de bonança as mães que se encontrarão em território sitiado em breve...
Votos de bonança a mim, que presenciarei tal rusga camuflada...
Votos de bonança a  minha mãe, que me conduziu a este mundo e partiu para outro,
e sabe a santa se não vira também, quem sabe para rever seus filhos...
Votos de bonança a todas as santas, a dona Joaninha, a todas as mulheres de plantão no dia de hoje,
ao pés de cada cruzeiro...
dai-me a mim a coragem para compreender...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ensaios

baú patrimônio  imemorial oxidação teus passos meus passos abstinência arco e chifre olhos plácidos camisa alva e p...