sábado, 7 de abril de 2012

sábado de aleluia fresco, azul da cor do mar...


*google images

a delicadeza desse dia está me chamando para sair, ver as cuequinhas do meu sobrinho, comprar flores e uma posta de bacalhau para saborear com Calamares, e manjar e laranjas agridoces de sobremesa, arrematados a Porto; ou deitar ali sobre a colcha vermelha brega e ver alguns dvds, que há "Alejandra y el Brujo de los pantalones morados", "Corteo", "Na natureza selvagem" e "Sonhos", ou mesmo dormir um sono... 
ao mesmo tempo em que teria vontade de trocar ideias com um dos lords a quem tenho apreço, desejos de encontrar em um deles o ouvinte e partícipe  das minhas utopias -  como cantilenou osmar no último domingo, tenho o silêncio, o tear e um gato por companheiro.
a sina é tecer em silêncio, em tear quebrado, em tear enferrujado ou em tear de madeira, feito a mão. Sem culpa. Sem carga. Só aviando a história.
O dia enseja ajuda para a Terra, como quer o anjo Ariel. 
Ajudar a Terra em sua trilha histórica, em seus sítios mais ermos e sutis,  dos trens fantasma da Mamoré aos suspiros da maria fumaça na floresta voraz. Minha vida ressoa com essas ferrovias esquecidas. Por sorte tenho perto a trilha da serra para viver, é o que me torna moça em pleno outono...
Conhecer os desejos da terra é o atributo desse tecer, que não viemos aqui em vacação, há que se lembrar disso todos os dias de aleluia. viemos tecer uma das ferrovias da Terra, nós zabelinhas tecedeiras de linho mourisco, de tantas idas e vindas...
Ter os amores bordados em tapetes de seda, expostos em estações de trem pelas quais passo todos os dias de aleluia...
Sentir o momento preciso do  cio da terra,  fecundar o chão com a maestria de minha agulha e trama. Ver em toda terra que canto o olhar que anda solto, num ponto que escapou...
Temperar a Terra com minha leve tendência a loucura, que chamo de voleios imaginativos. 
Agarrar-me aos fios de postes da Terra, para estabelecer contato. Que o azul da cor do mar deu lugar ao nublado enquanto organizo esta tela...

Felicidades, para quem eu não posso desejar pessoalmente felicidades...
Amor.