segunda-feira, 16 de abril de 2012

Pela voz que completa, em breve, cinquenta anos nessa Terra.

*google images

O sabiá canta olhando o sol
o seu canto pungente, áspero
penetrante.
Um pássaro cuja procedência desconheço
responde
e então a tarde fica quieta...
Lembrei-me, não sei porque
da canção Misty...
acredito que associei a uma frase
cantada pelo Neri per caso em Ragazze.
O sabiá ficou só dois segundos
berrando ao sol. O sol foi para trás os montes
preparando o ocaso desse dia.
O pássaro de outra procedência
piou, voou...
os pardais pipilam quietinhos, daqui a pouco
vem o toque de recolher...
Hoje é o dia mundial da voz...
Hoje é dia de pássaros...
Hoje mandei pelo sedex um projeto lindo
para submissão...
Deus abençoe essa voz que canta
há quase cinquenta anos...
Que se fez homem forte,
pau do trabalho
pau da obra
pau da saúde, mesmo quando as pregas se feriram...
e me deu agasalho, teto e sustento
e me deu um pouco do exercício da caridade
da magia
da cura...
Deus abençoe esse projeto que logo pousa
na mesa dos censores
e permita que o possamos transformar
em Martim Pescador.

Feliz dia da voz, para todos nós.

...Sinto muito, meu Lino entrou em casa
me trazendo um sabiá...
corpinho ainda quente...
é dessa natureza selvagem
que meu pai fala, com zanga,
mas esta já é outra história...
vou cantar com meus amigos
coração partido...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

verso bordado

Lá fora a luz do dia, baça. Tu me disseste qualquer desafeto, verso E foste embora sem adjetivo que se interpusesse. Eu, às...