o sol da segunda-feira

o poeta
vem de um sono confuso
o pêndulo gingando
há noite
e há dia
e sono
e vigília
e vontade
e letargia
felizmente
o poeta tem tempo
e testemunha o sol,
a brisa e a saúde do dia
cumprimenta a segunda-feira
é meio dia e meia
as palavras descascadas na pia
com um copo d'água
morna,
mel e canela

Comentários

  1. É bom, e é raro, encontrar tanta sensibilidade em uma pessoa só.

    Seus textos são lindos e tocantes.

    Um abraço sincero e com saudades.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas